Birras... Banhos, Refeições e Dormidas!



As necessidades básicas que por vezes se tornam batalhas intermináveis.


Birras... os três principais problemas:


1º | As birras e os banhos, porque a hora do banho é muitas vezes adiada porque há mais uma brincadeira e um “já vou”;


2º | As birras e as refeições, sendo que aqui surge a preocupação por parte dos pais porque os filhos não comem quase nada, ou então porque demoram muito tempo a comer;


3º | As birras e as dormidas, pela dificuldade dos pais em habituar os filhos a dormirem sozinhos, nos seus quartos e a adormecer sem a presença do adulto à hora definida.


Todas estas necessidades básicas, quando não estão devidamente satisfeitas, levam ao conflito. Por isso vamos refletir e fazer com que a alimentação, o sono e a higiene do seu filho sejam geridos e levados com tranquilidade.


Para os três temas, ou seja, as três necessidades de que falamos, devemos sempre aplicar quatro passos essenciais, quatro estratégias para desconstruir o problema. Que são:


· Passo 1, identificar o problema (Não come? Porquê? Não tem autonomia, diz que não gosta da comida? Não dorme? Porquê? O problema é ser no seu quarto? É o medo a alguma coisa? E não quer tomar banho porquê? Tem preguiça? Prefere brincar?) estes são alguns exemplos de perguntas/reflexões que deve fazer;


· Passo 2, permite refletir sobre os problemas identificados e como eles se instalaram (ou seja, balançar o antes e o depois, pensar em causas, em fatores precipitantes);


· Passo 3, devemos encontrar as possíveis soluções (e aqui pode ter que passar por fases experimentais, negociações e acordos com a criança);


· Passo 4, aplicar as soluções selecionadas de imediato.


Deve habituar-se a fazer este exercício, este esquema de quatro passos, sempre que se depara com com o problema!

Depois em forma de prevenção e a atuar mais diretamente com a criança deve sempre:


1. Estabelecer uma rotina

Manter uma rotina estável torna as situações mais familiares para a criança e assim já não existe o sentimento de estranheza mas sim de hábito e adaptação. As rotinas criam segurança às crianças.


2. Dar opções

Ouvir o que a criança quer não só mostra que há alguém disposto a ouvi-la, mas, dependendo da situação, pode ajudar a encontrar um meio termo.


3. Explicar o que vão fazer

Antecipar quais serão as próximas coisas que ela vai fazer pode ajudar a contornar um possível ataque de birra, já que não haverá o fator surpresa.


4. Aprender a ceder

Entender que as crianças têm tempo e vontades próprias é um passo importante para respeitar a autonomia delas e amenizar momentos de birra. Conversar e ceder um pouco são atitudes importantes na relação entre pais e filhos.


5. Tornar os momentos numa coisa boa

As tarefas e as necessidades básicas não têm que ser aborrecidas. Uma dica é tentar fazer algo interessante com a criança em cada momento, para que ela associe sempre aquele lado positivo. E a ultima estratégia


6. Respeitar o tempo

Cada criança reage às situações de uma forma diferente, cada criança precisa do seu tempo, ainda assim, dar escolhas, fazer combinações e respeitar o tempo da criança é uma forma bastante cuidadosa de construir uma relação compreensiva.


E para terminarmos é importante dizer também que nem todos os momentos de birra são contornáveis e isso não significa que pais e mães não saibam lidar com o seu filho ou com esse momento de birra, mas que a criança precisa de um tempo para se adaptar e entender a situação.


// Artigo escrito por Sara Carvalhais, Psicóloga no Centro Clínico ADCA

21 views0 comments

Recent Posts

See All
Centro Clínico ADCA

A ADCA é um espaço em que o seu filho está em primeiro lugar!

geral@adca.pt

+351 916 700 044

Rua Padre António Caldas, 1709

4810-246 - Guimarães

Subscreva a nossa Newsletter!
Área Reservada