A Importância de Estimular a Autonomia na Infância



A autonomia na criança é compreendida como um processo e uma conquista que se inicia na infância precoce e que se desenrola ao longo da sua vida. Assim, é necessário proporcionar o desenvolvimento da autonomia das crianças através das pequenas tarefas do dia a dia, ajudando a estruturar e organizar o seu pensamento.

A postura dos pais é decisiva ao longo de todo este processo. Existem comportamentos que as estimulam, mas também existem outros que têm efeitos contrários, como:

  • Exercer o controlo exagerado, por exemplo, em brincadeiras livres ou no convívio com amigos;

  • Dar constantemente orientações sem que a criança possa tomar as suas próprias decisões;

  • Substituir-se à criança nas tarefas e nos desafios que ela tem que enfrentar;

  • Demonstrar insegurança e deixar que isso afete a criança;

  • Destinar pouco tempo exclusivamente para a brincadeira livre.

A estimulação da autonomia nas crianças é considerada um processo global que se prolonga no tempo. Implica desenvolver um conjunto de hábitos e tarefas em todos os contextos onde a criança está inserida.

Neste sentido, vou enumerar algumas estratégias que podem pôr em prática em casa:

- Em primeiro lugar, é importante adotar uma postura relaxada com o seu filho/a. A superproteção é um dos principais fatores que impede o desenvolvimento da autonomia, tornando a criança receosa de tomar qualquer atitude na ausência dos pais. Para contrariar isso, estabeleça uma relação de confiança com o seu filho, baseada numa proximidade saudável e não “sufocante”. Isto permite que ela se sinta mais confiante em explorar o meio que a rodeia, desconstruindo os medos na tomada de decisões e diminuindo a dependência do adulto.


- Aplique o reforço positivo. A família tem um papel determinante. Nesse sentido, o reforço positivo é fundamental para a criança adquirir a confiança e a segurança necessárias para se tornar mais autónoma. Valorize todas as conquistas do seu filho e motive-o quando as coisas correrem menos bem.


- Promova a autoestima da criança.


- Reforce a capacidade de tomada de decisão. Não se substitua à criança em tarefas ou problemas que tenha. Quando o seu filho pedir ajuda, ajude-o, mas não faça por ele. Estimule a capacidade dele para resolver os seus próprios problemas, demonstrando disponibilidade para o apoiar no que for necessário.

- Estimule as brincadeiras livres. A brincadeira livre é um contexto determinante no desenvolvimento da autonomia e criatividade das crianças. Dê espaço e tempo para poderem brincar de forma não orientada.

- Crie rotinas de tarefas pessoais básicas, desde cedo. Existem certas tarefas pessoais que devem ser ensinadas desde cedo, como o vestirem-se, comerem sozinhos, escovar os dentes, apertarem os cordões dos sapatos, prepararem a mochila para o dia seguinte, são alguns dos exemplos que estimulam a autonomia nas crianças e diminuem a dependência do adulto.

- Envolva a criança nas decisões e tarefas de casa. Outro aspeto que contribui para o desenvolvimento da autonomia das crianças é dar oportunidade para se envolverem nas decisões e tarefas de casa. É uma forma de estimular a responsabilidade das crianças perante situações que também são do seu interesse. Pode neste sentido, habituar o seu filho a partilhar tarefas domésticas, como arrumar o quarto, ajudar os pais a pôr a mesa, na limpeza da casa, entre outras coisas.


É pertinente compreender que a estimulação da autonomia desde a infância, pode trazer diversos benefícios como:


- A melhoria da comunicação social, isto porque, a autonomia infantil desperta na criança a liberdade de poder comunicar e expressar os seus pensamentos (por exemplo, permite que se sinta à vontade para colocar dúvidas aos professores na escola);

- Incentiva a tomada de decisões. A autonomia promove na criança a segurança para realizar tarefas, analisar situações e tomar iniciativas de forma consciente e com confiança.


- Permite compreender e aprender a lidar com as frustrações. A criança deve ser sempre incentivada mesmo que não consiga realizar algo, pois assim fará o seu melhor. A frustração deve ocorrer, pois proporciona reflexão sobre o que não conseguiu fazer e como pode melhorar. Esse exercício provoca maturidade e incentiva a fazer o seu melhor sozinho, estimulando-o a não desistir.


- Apresenta ainda um papel fundamental na melhoria da autoestima e autoconfiança. Sabermos fazer as coisas por nós próprios é fundamental para superarmos inseguranças e aumentarmos a nossa autoestima, principalmente na fase infantil. A criança ao ser autónoma, sente-se útil, o que traz benefícios para a sua autoestima, podendo, até mesmo, se refletir na vida adulta.


A investigação mostrou que, quando a família estimula a autonomia da criança, ocorre um impacto muito positivo nas funções executivas, um dos pilares do desenvolvimento cognitivo. As funções executivas abrangem a memória de trabalho, o raciocínio, a capacidade de resolução de problemas e a flexibilidade mental, além da capacidade de planeamento e execução de diversas atividades. Portanto, quanto mais cedo todos os membros da família começarem a estimular a autonomia da criança, melhor será o seu desenvolvimento.


Em suma, a estimulação da autonomia é muito importante para o desenvolvimento global das crianças, quer a nível pessoal, social e cognitivo. Ao investir na estimulação da autonomia está a permitir a construção de uma personalidade saudável da sua criança.



// Artigo escrito por Sofia Sousa, Psicóloga no Centro Clínico ADCA

29 views0 comments