Competências e Métodos de Estudo



A escola está representada, na nossa sociedade, como um meio de socialização com grande impacto na vida das pessoas. Para que os alunos consigam alcançar os seus objetivos, é necessário que seja promovido o interesse genuíno, o entusiasmo pela aprendizagem e pelo próprio desempenho escolar. Assim, o (in)sucesso escolar não pode ser explicado apenas com base nas capacidades cognitivas dos alunos, já que existem outras variáveis igualmente importantes para esse fenómeno, que podem não ser tanto de natureza intelectual mas sim relacionadas com fatores motivacionais associadas à postura e proatividade do aluno perante a aprendizagem.


A motivação revela-se determinante no rendimento escolar já que afeta a quantidade de tempo que os alunos estão dispostos a dedicar à aprendizagem; promove a melhor aquisição de conteúdos e a confiança em si mesmo, aliada a uma maior satisfação no desempenho do trabalho executado, sendo assim, importante valorizá-la no contexto escolar. Contudo, a aprendizagem afeta a motivação tal como a motivação afeta a aprendizagem: ao estimular a confiança nas capacidades do aluno, estamos também a promover a sua motivação, sendo necessário encorajá-lo a definir objetivos relacionados com as matérias.


Estudar bem não é sinónimo de estudar muito, já que o essencial consiste em possuir bons métodos de estudo. O método de estudo diz respeito ao conjunto de estratégias que o aluno seleciona para fazer frente aos conhecimentos adquiridos na escola, juntamente com os objetivos traçados por si. Um bom método de estudo exige que o aluno saiba organizar o seu tempo para estudar, determine os materiais necessários, defina objetivos e escolha as estratégias mais adequadas ao que se propõe, por forma a rentabilizar o tempo e o esforço dedicados, de maneira a obter maior sucesso na sua aprendizagem.


As estratégias de aprendizagem têm sido consideradas uma ferramenta útil para os alunos, já que assumem um papel facilitador na aquisição de aprendizagens mais sólidas para o futuro. Auxiliam o estabelecimento de objetivos, a planificação e gestão de atividades e tempo de estudo, a selecionar, a organizar e a memorizar os conteúdos programáticos, a monitorizar o estudo e que contribuem para a melhoria do seu rendimento escolar. O seu principal objetivo passa pelo reforço do papel do aluno na gestão da sua aprendizagem, estimulando uma atitude ativa, reguladora e construtiva nas atividades escolares.


Existe uma grande diversidade de estratégias de aprendizagem que devem ser utilizadas de forma seletiva e flexível, de acordo com o tipo de tarefa a desempenhar e que permitem ao aluno compreender o que está a estudar, relacionando essa informação com outras aprendizagens já adquiridas. Eis alguns exemplos:


1. Sublinhar/Destacar textos: Consiste em sublinhar/destacar as ideias mais importantes; muito utlizada pelos alunos, deve ser combinada com outro tipo de estratégia, concretamente o recurso a mapas de ideias ou esquemas para que possa ter um impacto mais positivo;


2. Elaborar mapas ou esquemas: São esquemas que evidenciam as relações entre as palavras-chave do estudo; apresentam as ideias de forma ordenada e sistemática e mostram as relações entre elas, facilitando a perceção e a memorização das relações entre as ideias expostas;


3. Apontamentos: Consiste em selecionar informação, reelaborar e reorganizar, onde o aluno se encontra focado, concentrado e, ao mesmo tempo, é parte ativa do processo facilitando a aprendizagem; obriga o aluno a refletir sobre o que está a ler.

A planificação e realização destas tarefas concretiza-se tendo em conta a correta e equilibrada organização do horário e a gestão do local de estudo. Como tal, o aluno deve:


1. Aprender a programar as atividades pessoais, organizando um calendário do seu dia-a-dia e para as demais tarefas;


2. Elaborar o horário onde se prevê o tempo para o estudo (média diária de duas horas) considerando o ritmo próprio de trabalho, a dificuldade em cada matéria, bem como o tempo dedicado a outras atividades;


3. Estudar num local arejado, com temperatura amena e luz natural, ter o espaço organizado e arrumado, preferencialmente com mesa e cadeira ergonómicas onde se encontra o material necessário reunido.



Também os momentos de avaliação constituem um instrumento importante no processo de aprendizagem, já que permitem ao aluno criar um ponto de situação sobre aquilo que foi adquirido e, ao mesmo tempo, das suas lacunas e dificuldades. Como tal, devem ser encarados como parte integrante do processo de aprendizagem, devendo os alunos focar-se nalgumas atitudes-chave que os possam ajudar na preparação das avaliações. São elas:


1. Estudar com antecedência;


2. Identificar os temas importantes a estudar;


3. Utilizar para o estudo as diferentes técnicas aprendidas;


4. Ler os resumos anteriormente elaborados;


5. Elaborar listas de perguntas sobre a matéria e tentar responder sozinho da forma mais completa possível;


6. Anotar as dúvidas, voltando a estudar a matéria pouco interiorizada, testando de seguida a sua assimilação e compreensão;


7. Clarificar outras dúvidas junto de colegas e professores.


A preparação dos alunos para as exigências da vida em sociedade revela-se essencial no contexto de ensino, por isso, o desafio centra-se na capacidade do sistema educativo conseguir difundir um ensino centrado em métodos de aprendizagem que proporcionem bons resultados, capacitando os estudantes para as diferentes adversidades da vida, não só na escola como além desta.



// Artigo escrito por Filipa Silva, Psicóloga no Centro Clínico ADCA

31 views0 comments

Recent Posts

See All
Centro Clínico ADCA

A ADCA é um espaço em que o seu filho está em primeiro lugar!

geral@adca.pt

+351 916 700 044

Rua Padre António Caldas, 1709

4810-246 - Guimarães

Subscreva a nossa Newsletter!
Área Reservada